quinta-feira, 11 de novembro de 2010

"Os livros são papéis pintados com tinta"

"Os livros são papéis pintados com tinta"

"O poeta é um fingidor"

"Sonho. não sei quem sou ..."

"Sou minha própria paisagem"

"Tudo o que faço ou medito"

"Sou um guardador de rebanhos"

"Para ser grande, sê inteiro"

"Não sei quem sou"

"Meus versos são meus sonhos dados"

"Não sei quantas almas tenho"

"Tenho tanto sentimento"

"Deus quer, o homem cria, a obra nasce ..."

"Há, perante esta única realidade"

No passado fds fui até ao Centro Cultural de Cascais ver, entre outras, a exposição de Norberto Nunes "Os livros são papéis pintados com tinta".
Norberto Nunes é um artista multifacetado, com currículo noutras áreas da produção cultural que não a pintura ( no cinema, por exemplo ), cuja paixão pelo legado pessoano lhe ilumina o percurso, que ele quer valorizar através do diálogo com o fantasma mítico que lhe povoa os pensamentos e ao mesmo tempo reconciliar duas formas de expressão convergentes em idêntico gesto estético: a pintura e a palavra escrita.
É, nesse sentido, um autor cujo experimentalismo especular nos aproxima de um ensaio de escritas - a pictural e a gráfica - aliadas numa conspiração para tornar mais apelativo o universo fragmentado e enigmático do grande poeta abordado.
Pessoalmente, fiquei fascinada pela forma como reconstruiu nos seus quadros o universo do poeta dos heterónimos !
Uma exposição a não perder ... ;)
Patente no Centro Cultural de Cascais até dia 02 de Janeiro de 2011 !

Sem comentários: