sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Café no Papel







Descubra mais aqui sobre a Coffee Art de Dirceu Veiga !
Simplesmente espectaculares estas pinturas utilizando apenas café sobre papel ! ;)

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Schin Loong






"Fantasy art is my way of conveying a dream that I have.It is impossible for us to have a perfect dream world, so instead, I try to create a beautiful fantasy land in my drawings and to fill it with color, story and wonder. It is my hope that the viewer will enjoy these drawings and to escape from reality for a little while."

Deixe-se encantar aqui pela magia das ilustrações de Schin Loong !

terça-feira, 20 de outubro de 2009

O que quero ... de Ti

" Quero poder ir comprar flores com o meu homem, ir passear com o meu homem, ir ao cinema com o meu homem, ir jantar fora com o meu homem, ir para a cama com o meu homem, viajar com o meu homem, ir a tudo com o meu homem e tê-lo comigo sempre que me apetecer, sempre que estar com ele for a coisa mais importante do mundo, porque estar com ele é sempre a coisa mais importante do mundo enquanto ele for o meu homem. Quero tudo isso sem sombras a irromperem-me na vida de todos os dias. Quero ter um filho do meu homem, mas não quero que ele cresça sem o pai. Quero ter esta casa com ele, viver nela, respirar nela, estar nela com ele. Quero, quero, quero ... Nada disto tem lógica, porque ele agora está livre, ou pode considerar-se como tal, mas eu não acredito e não aceito. E talvez eu também não tenha lógica nenhuma no meu comportamento e nas minhas decisões. Talvez tudo isto seja um misto de medo e de esperança desmedida, de esperança louca que me põe a alma nos píncaros da Lua antes de dar um trambolhão. "

Vasco Graça Moura in "Meu Amor, Era de Noite"

Saudade

" Saudade é, talvez, a mais linda palavra
Que temos ?!
Ela é sinónimo do nosso sentir por alguém
De quem, há muito, nada sabemos
Ela traduz recordações: tristes, alegres;
Antigas, recentes
Ela é nostalgia que transtorna, perturba
As nossas mentes
Ela magoa, fere, dilacera, é dor
Ela é suave, é meiga, é amor
Ela é sensação que perdura, é eterna,
Não finda
É portuguesa, é nossa, só nossa,
É linda ! "

José Conceição in "Poiesis - Volume VIII"

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

As 7 Saudades

As sete saudades que nos regem o destino


"A primeira saudade é a de um bem-estar fulgurante e tranquilo, de uma sensação que inunda alma e corpo por dentro e que nos leva a sentir que nada está fora do seu lugar, que se está certo nesse lugar e certo na relação de um com o outro, que tudo é musical e luminoso, que a harmonia está numa compreensão íntima a vir de uma tensão permanente de ternura, inteligência, sensibilidade e desejo."



"A segunda saudade é a de ver e ouvir, de perto, de se estar ao pé um do outro, de haver olhos que se olham, caras que se vêem, risos deslumbrados que se têm, palavras que se dizem ou é como se fossem ditas, gestos que se fazem ou apenas se esboçam, e de se sentir que nisso se é naturalmente intencional nos recados que se dão por cada um desses meios, como se é naturalmente capaz de adivinhar e de decifrar tudo o que se quer realmente dizer. "



" A terceira saudade é a que se liga aos momentos mais importantes que se vivem, passeios e paisagens, deambulações, pessoas que se passam a conhecer, coisas que se contam, confidências repentinamente tornadas necessárias, sonhos e palpites, expressões que se surpreendem, efeitos de luz, flores, ruídos do campo e do mar, músicas tantas vezes ouvidas quando se atravessa a noite, cores e sabores, emoções em que o íntimo e o de fora se combinam de um modo único e partilhado como não se pode acreditar que a mais ninguém tenha acontecido, em que o que já se passou continua a estar presente e é cada vez mais intenso e activo. "

" A quarta saudade é a do contacto da pele: mãos que se apertam e percorrem, afagos que se aventuram, bocas que se encontram, sensações que se sabem de cor e se querem inesgotáveis, corpos à beira de explodir ansiosos, tanta fome e tanta sede, liberdade e pudor, impaciência e timidez, contenção e promessa, tudo a renovar-se e a tornar-se ilimitado a cada momento, repassado de uma doçura que nenhumas palavras conseguem descrever. "

" A quinta saudade é a da vida prática do dia-a-dia, ideias e projectos, tentativas e certezas, coisas que têm conta, peso e medida, espessura, ritmo, existência concreta, efeitos reais, coisas que são vão criando porque se está a remar na mesma direcção e se tem a consciência disso, coisas que são reciprocamente induzidas e aperfeiçoadas, combinações de risco e de bom senso que se sente que resultam graças a esse empenhamento e a uma alegria da seriedade com que são postas em andamento. "

" A sexta saudade é a que faz com que um esteja sempre a falar com o outro e a fazer parte dele, a respirar nele e a existir nele, veia a veia, fibra a fibra, tecido a tecido, músculo a músculo, a ter de dizer-lhe sempre do seu amor das maneiras mais variadas e a propósito das situações mais diversas, com efeitos de luz e sombra, veemência e desvario, ansiedade e contentamento, sem nunca querer ou ser capaz de distinguir esse amor da própria vida e a só conseguir ser feliz assim. "

" A sétima saudade é a mistura transbordante de todas as anteriores, criando uma dimensão em que cada uma delas leva a todas as outras e recupera todas as outras, como se estivesse a olhar um caleidoscópio, ou como se estivesse dentro dele e se fosse parte activa desse universo de reflexos interactivos, de brilhos, jogos de espelhos, formas coloridas, tempos sempre em mutação, espirais alucinantes mas invariavelmente ancoradas no coração das coisas e no coração propriamente dito e uníssono: é uma saudade que funciona como uma espécie de cursor no tempo, deslizando para trás e para a frente, girando em todas as direcções, revivendo as anteriores, inventando as próximas, entrançando umas e outras, agarrando-se a esperanças, sobressaltando-se com acasos, e sofrendo, sofrendo, sofrendo, só de pensar que se pode estar a uma distância de dias ou de apenas umas horas. "

Vasco Graça Moura in "Meu Amor, Era de Noite"

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

The Cheese Lady









Descubra mais aqui sobre o trabalho espectacular de Sarah Kaufmann, escultora internacionalmente conhecida como "The Cheese Lady" e que recorre ao queijo Cheddar como matéria-prima ! ;)

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Justin Mcallister

"False Lights"
Oil on Canvas, 2008

"The Conjuring"
Oil on Canvas, 2008

"Hill Top Lights"
Oil on Canvas, 2009

"Beacons"
Oil on Canvas over panel, 2008

"Mount Washington IV"
Oil on Canvas over panel, 2007

Fotografia ou Pintura ?
Foi este o meu primeiro pensamento ao visualizar as pinturas de Justin Mcallister !

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Banhos de Cor





Descubra mais aqui sobre o trabalho do fotógrafo de moda londrino Iain Crawford.
Recorrendo à utilização de fundos simples, a sua imagem destaca-se pela cor e pelos padrões à volta de um modelo.
Simplesmente espectacular a forma como o artista captura o momento em que uma mulher entra em contacto com uma determinada substância - tinta, pó ou água - atirada pelo ar !