domingo, 5 de julho de 2009

Ramón Gaya: a consciência do tempo









Foi já no passado dia 13 de Junho que desloquei-me ao Centro Cultural de Cascais para ver e apaixonar-me pelo conjunto de óleos, aguarelas e desenhos de Ramón Gaya ( 1910 - 2005 ), uma das mais notáveis figuras da Arte espanhola do século XX, reconhecido quer pelo seu talento, como pelo ineditismo e frontalidade das suas convicções críticas.
Admirador confesso de Velázquez, Rembrandt, Cézanne, Tiziano e Van Gogh, este pintor murciano não se cansa de os homenagear ao longo da sua obra.
Praticava a pintura como meditação sobre a pintura, e a escrita como reflexão sobre a pintura, e ambas como meio de compreender o real para além do real.
O seu método era o do olhar incessante para a natureza procurando registá-la segundo soluções visuais estabilizadas mas sucessivamente apuradas; era o pensar sem descanso, com rara agudeza e inteligência visual aquilo que via e fazia ver.

Sem comentários: